A revista “Leitura” e uma parte da história da literatura brasileira


Mergulhar um pouco na história do periodismo literário no Brasil é folhear os arquivos da extinta revista Leitura, do Rio de Janeiro, que foi publicada mensalmente entre 1942 e 1968. Cada edição podia vir com 40 a 60 páginas, mas não raro chegava a 100. Subintitulava-se como “[uma revista de] crítica e informação bibliográfica”.

Em seu primeiro número, de dezembro de 1942, o editorial da revista enfatiza que:

Leitura é uma revista para os leitores do Brasil. Porque sua finalidade é informar com exatidão sobre o movimento editorial do país. Um registro bibliográfico preciso, uma crítica assinada por intelectuais e jornalistas de renome, destacando os livros de maior significação, é o que este mensário se compromete a oferecer aos seus leitores.”

Para esse periódico, vários escritores que marcaram nossa história literária contribuem com artigos, como Rubem Braga, José Lins do Rego, Graciliano Ramos, Lúcia Miguel Pereira, Jorge Amado, Carlos Drummond.

Foi o próprio Drummond quem disse que “Se existe uma educação extra-escolar, Leitura é no Brasil um de seus melhores instrumentos.”

Além de artigos e textos literários, a revista Leitura propagandeava a cada número lista e mais listas de livros das mais diversas áreas.

O que hoje nossos “booktubers” chamam de “publi editorial” acontecia a seu modo pelas páginas da revista Leitura. Muitos livros de qualidade duvidosa, como romances norte-americanos traduzidos para mero entretenimento, são divulgados amplamente.


Toda uma miscelânea do que se publicou no Brasil entre anos 1940 e o final dos anos 1960 se encontrava na revista Leitura - com informações bibliográficas de outras áreas do conhecimento - convivia com bons artigos sobre literatura nacional e estrangeira.



LEITURA. Agosto, 1957.

No editorial de agosto de 1957, menciona-se que a tiragem da revista estava na casa de 15.000 exemplares, mas que teria fôlego para chegar a 50.000, desde que houvesse “melhor apresentação e maior número de colaborações”.

Na tradição brasileira das revistas literárias, Leitura desempenhou papel relevante na difusão de livros e da literatura. Recorrer ao seu acervo, disponível parcialmente na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional, pode ser uma forma de esboçar um quadro da literatura nacional naquele período.

RAFAEL VOIGT, editor da {voz da literatura}

© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+