LEITURA | Rosa do mundo: 2001 poemas para o futuro


por Andréia Guerini



Rosa do mundo: 2001 poemas para o futuro | Org. Manuela Correia | Ed. Assírio e Alvim | 2001


Dentre os livros lidos em 2018, gostaria de destacar a bela antologia Rosa do Mundo. 2001 poemas para o futuro, organizada por Manuela Correia, com direção editorial de Manuel Hermínio Monteiro, publicada em 2001, pela editora Assírio e Alvim, que contou com a colaboração de mais de vinte especialistas. Essa antologia, de quase 2000 páginas, apresenta 2001 poemas de autores das mais diferentes culturas, com o objetivo de trazer “poemas escritos em todas as épocas, em todo o mundo. Palavras límpidas e exactas com que cada um dos poetas escolhidos falou, dalgum modo, de futuro”. De fato, é uma antologia riquíssima, que trata do futuro dialogando intensamente (quase 1/3 da antologia é dedicado às tradições orais) com o passado: “não há futuro sem passado, mas também não haveria passado se, na altura em que foi edificado, não fosse já um desejo de futuro”. Um futuro que se abre com diferentes cosmogonias e avança até o ano de 1945. Desse longo movimento temporal, retornamos à criação, ao poder da literatura, dos autores e dos tradutores que puderam (re)criar em português textos da tradição oral e escrita. Não é exagerado dizer que Rosa do Mundo oferece ao leitor um pequeno tesouro da literatura universal.



Andréia Guerini é professora do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras e da Pós-Graduação em Estudos da Tradução da UFSC e Pesquisadora do CNPq. Organizou junto com Márcia Martins o recém-lançado Palavra do tradutor - reflexões sobre a tradução por tradutores brasileiros, pela Editora da UFSC. Atualmente, está realizando estágio sénior na Universidade de Coimbra com pesquisa sobre a presença de Leopardi em Portugal.


{n. 3 | julho | 2018}

© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+