A leitura das cinzas

Jerzy Ficowski | Tradução e Organização de Piotr Kilanowski | Âyiné | 2018



A editora Âyiné vem oferecendo aos leitores brasileiros um amplo espectro de livros fundamentais da literatura estrangeira. Um deles, lançado recentemente, é A leitura das cinzas, do polonês Jerzy Ficowski (1924-2006). O poeta, ensaísta e tradutor Ficowski opunha-se ao regime comunista polonês, o que motivou a censura e a proibição de suas obras. Por essa razão, a primeira edição dos poemas de A leitura das cinzas aconteceu em Londres, em 1979. A poética de Ficowski enfeixada neste livro desvela a experiência do autor durante a Segunda Guerra, como soldado da resistência antinazista, prisioneiro nos campos alemães e testemunha do holocausto. Piotr Kilanowski, o tradutor do livro, em ensaio introdutório, destaca que a temática da poesia de Ficowski se alinha com “a compaixão para com os mais fracos, os menos visíveis, os periféricos.” Ainda nas palavras de Kilanowski, o poeta Ficowski inventa uma nova língua poética para a poesia polonesa, com uso de recursos linguísticos muito peculiares, o que impõe vários desafios à conversão dos poemas para o português. A edição bilíngue auxilia o leitor - mesmo que não tenha profundo conhecimento da língua polonesa - a sentir o esforço do tradutor para conservar a linguagem poética de Ficowski. Versos do poema “O muro das lamentações” são representativos do quanto A leitura das cinzas pode ser considerado um dos principais livros de poesia sobre a Shoah: “por mil e novecentos anos/lançavam o lamento vão/contra o muro//então ergueram para eles/quatro muros das lamentações//e entre os quatro muros/exterminaram rigorosamente/toda a lamentação (...)”.


{n. 6 | outubro | 2018}

© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+