LEITURA | O ano da leitura mágica

Nina Sankovitch | Ed. Leya | 2011


por Renata Sanches




“As pessoas compartilham os livros que amam.(...) Somos aquilo que gostamos de ler, quando admitimos que adoramos um livro, admitimos que este livro representa verdadeiramente algum aspecto de nosso ser, seja o fato de sermos loucos por romance, ou por aventuras, ou secretamente fascinados por crimes.”


Adoro livros. Sim, de papel, celulose, capas coloridas, tamanhos diversos, narrativas de toda sorte e forma.


Ler sempre foi uma alegria. Grande. Todas as minhas melhores lembranças, de uma forma ou de outra, envolvem um livro. Faz parte da minha História e do meu habitat da mesma maneira que um perfume, uma cor, ou um sentimento. Fases compulsivas, em que um autor foi destrinchado em todas as suas obras, em curtíssimo período de tempo. E fases de livrinho degustado como chocolate raro, pedacinho por pedacinho, sem pressa alguma.


Mas nunca me organizei. Aqui e acolá, fazia comentários sobre o que estava lendo, indicava títulos para os amigos, uma espécie de palpiteira literária free-lance.


Até que a proposta de N.Sankovitch me apresentou ao ano mágico. E no réveillon de 2011, dei as mãos para a autora e me desafiei a ler, pelo menos, uma obra literária por semana.


Em apenas 3 dias, concluí a delicada, honesta e lírica leitura desse que é, sem dúvidas, uma celebração ao prazer de ler. Um resgate de epifanias cotidianas, em um mundo que nos cobra pressa, eficiência e consumo.


Ler para escapar da dor, da ausência, do não-entendimento, como fez Nina.


Ler para conhecer, para viajar, para rir, para sobreviver, para arejar, para registrar.


Ler porque a capacidade de contar histórias é o que nos torna um pouco mais humanos. E é bom saber disso quando se tem um ano novinho pela frente.


{n. 4 | agosto | 2018}

RENATA SANCHES é mestre em Relações Internacionais.

© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+