HQs | Super-heróis protagonizam romances de ficção no mercado literário

Atualizado: 13 de Ago de 2018

por Isa Oliveira



No universo dos quadrinhos é comum vermos adaptações literárias para as HQs, especialmente os grandes clássicos da literatura. Personagens do universo quadrinístico se tornarem protagonistas de obras literárias é algo curioso, em especial super-heróis. Como imaginar aquela cena de ação do Batmóvel voando em alta velocidade pela cidade de Gotham em texto corrido? Deve ser uma leitura um tanto enfadonha, mas não é bem assim que acontece.


A grande questão não é o impacto da adaptação visual para o textual, e sim as ramificações que as histórias já conhecidas dos super-heróis ganham durante o romance. Eles protagonizam situações que os quadrinhos ainda não souberam apresentar ao público que são os dramas pessoais dos heróis. Há a exceção de algumas edições em graphic novel, como Asilo Arkham, em que o próprio herói Batman enfrenta um drama psicológico nas mãos do seu rival Coringa. Os romances de ficção se tornaram verdadeiros thrillers psicológicos dos heróis dos quadrinhos, explorando o lado humano por detrás das armaduras e neste momento notamos quando a máscara cai e vemos um rosto humano carregado de entraves afetivos. O fator primordial dos romances é a capacidade literária de dar outras roupagens aos heróis, humanizando a figura do super-herói.


O mercado editorial dos livros tem investido em outro formato de protagonismo dos super-heróis fora do universo dos quadrinhos, mantendo as características originárias, mas aproveitando-se de lacunas existentes sobre a vida por detrás dos heróis. Mostram que os personagens não são heróis 24 horas do dia, em algum momento eles amam, sofrem, passam por perdas familiares, estabelecem laços de amizade e afetivos, criam inimigos próprios.


Para citar alguns exemplos, dois romances do personagem Batman foram publicados por duas editoras brasileiras sob o licenciamento das editoras americanas e da DC Comics, são exemplos desse processo de migração de nicho editorial dos super-heróis. Os romances de ficção mostram essa faceta mais humana, o eixo central delas é o personagem Bruce Wayne.



O romance Wayne de Gotham, de Tracy Hickman, publicado pela editora Leya – Casa da Palavra, com o selo Fantasy; Batman: criaturas da noite, de Marie Lu, publicado pela editora Arqueiro. Há outras prosas de ficção como a Coleção Marvel, publicada pela editora Novo Século. Essas editoras são as únicas no momento que editam adaptações das HQs para a literatura no Brasil. O mais curioso desses casos, que essas editoras são todas especialistas em edições literárias e não em edições de quadrinhos. Os romances são verdadeiros atrativos para o leitor literário que não está acostumado a ler quadrinhos. As narrativas são adaptadas de forma a respeitar as características originais dos super-heróis e o seu universo, porém elas exploram bastante o lado humano deles que não é comumente abordada na narrativa gráfica. Para os apaixonados por literatura de ficção eis a oportunidade de ler super-heróis em uma versão diferente.


EDITORAS DE QUADRINHOS

As histórias em quadrinhos vivem um bom momento editorial. Na primeira lista, temos algumas editoras brasileiras que editam só quadrinhos, sejam nacionais ou internacionais, sejam adaptações ou traduções. E na segunda lista, aparecem editoras nacionais que possuem, dentro do seu catálogo, selo voltado para edições de HQs.


Especializadas

· Pipoca e Nanquim

· Mino

· Panini Comics/Panini Books

· Mauricio de Sousa Produções - MSP

· Figura 85

· Mythos

· HQM

· Devir

· Veneta

· Zarabatana Books

· JBC (mangás)

· Draco

· Jambô

· Vertigo


Editoras com selo de quadrinhos no catálogo

· Dark Side Books

· Marsupial

· Balão Editorial

· Lote 42

· Sesi-SP editora

· Nemo (Grupo Autêntica)

· Quadrinhos na Companhia (Grupo Cia das Letras)

· Intrínseca

· Grupo Editorial Pensamento

· Globo

· Abril

· Record




{n. 4 | agosto | 2018}


{ISA OLIVEIRA é doutoranda em Estudos de Linguagens - CEFET/MG e Pesquisadora em Histórias em Quadrinhos, Literatura e Processos Editoriais. Revisora, Resenhista e Poeta.}











{baixar este artigo}




© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+