Coleção Caderno de Leituras

Série de ensaios disponibilizados gratuitamente pela editora Chão da Feira estimula o pensamento crítico sobre diferentes temas da contemporaneidade.

A coleção Caderno de Leituras, da editora Chão da Feira, publica mensalmente ensaios breves, inéditos e raros, desde 2011. O acesso é livre e gratuito.

A coleção surgiu a partir de uma experiência de Maria Carolina Fenati, coordenadora editorial da Chão da Feira, durante seu doutorado em Lisboa. Lá vivenciou uma experiência capital ao presenciar, em um bar, o lançamento da edição sonora de “O senhor Henri”, do escritor português Gonçalo M. Tavares.

“A leitura tinha qualquer coisa das novelas de rádio, com sonoplastias que tornavam ainda mais divertido o texto que, por si só, arranca muitas risadas. A voz era presente, nada empostada, e parecia achar graça de si mesma, postura que partilhava com o narrador e personagem principal do livro. (…)”, conta Maria Carolina Fenati no número 100 da coleção Caderno de Leituras.

Aquela noite marcou profundamente Fenati, por compreender o valor da leitura como atividade coletiva. “Todos os dias estava diante de páginas e páginas e lia-as silenciosamente. Imaginava a voz do autor, buscava a minha própria voz ao ler o texto, e continuava, durante o ato da leitura, sozinha. Voltei para casa me perguntado: quando foi que nos esquecemos de ler juntos?”, indaga Carolina Fenati.

Esse desejo de uma leitura coletiva está na alma da Coleção Caderno de Leituras. O primeiro texto publicado foi escrito por Fenati. Não por acaso traz no título uma referência a Gonçalo M. Tavares: “O Senhor Henri, outra vez!”.

No início do projeto Maria Carolina Fenati começou a selecionar ensaios de sua predileção, mas com o tempo passou a receber textos de colaboradores diversos. “Publiquei alguns textos da minha biblioteca predileta até que um primeiro leitor me escreveu a propor um texto seu. O retorno foi muito mais rápido do que imaginava, e era já um texto que fortalecia o espírito nascente da coleção. Publicamos. Outros se seguiram e muito rapidamente autores, tradutores, revisores, diagramadores e, sobretudo, leitores vieram ter conosco. A coleção Caderno de Leituras vive também da amizade entre nós. Pouco depois da primeira publicação, já vivia mais cotidianamente o que intuí naquela noite: há muitos modos de partilhar a literatura, ou ainda, de viver a literatura como partilha.”, recorda Fenati.

Virgínia Woolf, Ana Martins Marques, Maria Gabriela Llansol, Judith Butler, Silvia Federeci, Ricardo Piglia, Giorgio Agamben, Roberto Bolaños, Pier Paolo Pasolini, Jacques Derrida, Roland Barthes, ...são apenas alguns dos autores de ensaios publicados nessa coleção.

Todos os ensaios recebem cuidadoso projeto gráfico, o que torna a experiência de leitura ainda mais proveitosa.

Para a realização de um projeto de tal monta e de notória relevância, não se pode esquecer de toda a equipe envolvida. “O projeto gráfico da coleção é incrível e quando olho para os cem números [hoje 108] reunidos no site vejo que também há ali um extenso percurso de experimentação e aprendizado. Quero agradecer radicalmente a essa equipe, sem ela esta coleção não seria nada. Continuamos porque somos agora uma pequena multidão e reinventamos a cada número modos de partilhar esta coisa que amamos tanto – a literatura.”, celebra Maria Carolina Fenati, ainda no texto publicado na edição 100 da Coleção Caderno de Leituras.

Se ainda não conhece, prepare-se para ler, colecionar e compartilhar cada número dessa Coleção da editora Chão da Feira: https://chaodafeira.com/categoria/caderno-leituras/serie-caderno-de-leituras/

RAFAEL VOIGT, editor da {voz da literatura}

© 2020 {voz da literatura}

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+